S. H. Comunicação – Seu evento científico está aqui

Você está aqui:

Projeto promove Saúde através de intervenção educativa em Santo Amaro do Maranhão

Por: Polyanna Bittencourt - UEMA

Grande parte da população brasileira ainda sofre com a falta de saneamento básico. De acordo com dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) divulgados em 2020, quase 35 milhões de pessoas não têm acesso à agua potável e quase 100 milhões não têm seus esgotos tratados.

A ausência de saneamento pode trazer como consequência riscos à saúde das pessoas, como a proliferação de doenças como a esquistossomose, a dengue, a leptospirose, a giardíase, a amebíase e a hepatite A.

Pensando nisso e em formas de melhorar a qualidade de vida da população de Santo Amaro do Maranhão, o Grupo de Pesquisa Biologia e Ambiente Aquático (GPBioAqua),  da Universidade Estadual do Maranhão, realizaram o projeto  “Saneamento e saúde: uma proposta de intervenção para o controle e profilaxia de doenças no município de Santo Amaro do Maranhão”

O projeto tem como objetivo promover saúde a partir de intervenção educativa, com instruções sobre as doenças relacionadas à falta de saneamento na região. Além disso, o projeto contou também com a distribuição de 100 filtros de barro para as comunidades do município Santo Amaro e dos povoados de Boa Vista e Bebedouro.

“A partir de questionários aplicados nas comunidades foi possível obter dados socioeconômicos e sanitários para selecionar as famílias que receberiam os filtros de barro. A produção desses dados auxiliou também em medidas socioeducativas e ambientais, para melhorar as condições de higiene da população e reduzir os casos de contaminação de água ingerida, quebrando os ciclos naturais de doenças”, explicou Débora Martins Silva Santos, professora do departamento de Biologia (CECEN) e Coordenadora do GPBioAqua.

Assim, a população recebeu instruções sobre as doenças causadas pela falta de coleta de resíduos sólidos, coleta e tratamento de esgoto e falta de tratamento da água, através de ciclos de palestras, folders informativos e adesivos.

Além dessas ações, uma cartilha lúdica está em processo de construção e abordará sobre vários aspectos do saneamento, legislação, doenças relacionadas ao saneamento e medidas de prevenção de doenças, destacando as peculiaridades das comunidades visitadas, desde os cuidados com higiene pessoal, ao espaço em redor das moradias.

Ainda de acordo com a coordenadora do projeto, Débora Santos, o projeto foi idealizado também com o intuito de melhorar o índice o Índice de Desenvolvimento Humano do município de Santo Amaro do Maranhão, bem como dos povoados de Bebedouro e Boa Vista.

“Por ser um dos munícipios com menor IDH do país, a doação de filtros de barros representa a melhora no saneamento das 100 famílias que foram contempladas e impactas diretamente, além das ações em educação sanitária que instruiu a população e produz uma melhora no autocuidado e prevenção de doenças, como as do grupo das diarreias. A Universidade Estadual do Maranhão como instituição de fomento, pôde promover a aquisição dos filtros e melhoria na qualidade de vida da população de Santo Amaro, bem como, vem formando professores, biólogos e outros profissionais que estão preocupados com a justiça social e desenvolvem iniciativas voltadas para o ensino, pesquisa e extensão” afirmou a professora.

O projeto, que é desenvolvido por uma equipe 11 pessoas, entre discentes do curso de Ciências Biológicas e mestrandos do Programa de Pós-graduação em Recursos Aquáticos e Pesca, teve as primeiras campanhas realizadas no período de agosto de 2019 a março de 2020. Neste ano será finalizado com as adequações impostas pela pandemia da COVID-19.

%d bloggers like this: